TIPOS DE ALARMES E SENSORES: QUAL O MAIS INDICADO PARA CADA CASO? (PARTE 1)

Saiba mais sobre os tipos de alarmes mais comuns e descubra qual se adapta ao que você precisa! Simples ou altamente tecnológicos, veja qual é sensor de segurança é ideal para você.

Publicado originalmente em 06 de outubro de 2017

Há no mercado diversos tipos de alarmes e sistemas de sensores de segurança. Escolher qual o melhor para suas necessidades nem sempre é uma tarefa fácil. Um bom começo é saber que quanto maior a tecnologia, melhor será a resposta para proteger seu patrimônio. Conhecer as opções para segurança perimetral é o primeiro passo para compreender qual responde melhor aos riscos enfrentados pela empresa. 

A seguir, conheça os tipos de alarmes e sensores de segurança existentes e quais as áreas indicadas para cada um deles. Você pode saber mais sobre planejamento de segurança e análise de riscos aqui. Caso você esteja procurando informações sobre sensores de incêndio, leia mais sobre isso aqui. 
 

Tipos de alarmes mais comuns


Infravermelho passivo

Esse alarme é capaz de detectar o calor corporal por meio da energia infravermelha. O sistema identifica a presença de um invasor mesmo com baixa visibilidade. Embora seja uma solução econômica, por ser muito sensível, esse equipamento pode emitir alarmes falsos em locais com grandes variações de temperatura. É indicado para áreas internas com baixa variação de temperatura e pouca movimentação.


Dupla tecnologia: infravermelho passivo e micro-ondas

Esse sistema une a tecnologia do infravermelho (detecção de temperatura) com a do micro-ondas. As micro-ondas realizam a identificação do movimento de corpo através do efeito doopler, uma espécie de radar que emite pulsos e analisa os sinais recebidos. Essa combinação evita alarmes falsos, pois o disparo só ocorrerá quando os dois sensores forem acionados ao mesmo tempo. 
 
Este tipo de sensor oferece opções que se adequam a diferentes ambientes, sejam eles internos, semi-abertos ou externo.


Infravermelho ativo

Também conhecido como sensor de barreira, cria ondas de infravermelho entre duas extremidades, evitando invasões. Os mais avançados têm filtros para evitar mecanismo que o burlem. É indicado para muros de residências e indústrias.


Compensação de temperatura

Detecta a variação de temperatura do ambiente e se ajusta a ela, evitando alarmes falsos. Como em outras tecnologias, o infravermelho pode ser ajustado para detectar inclusive a presença de pessoas camufladas com roupas térmicas, por exemplo. É o mais indicado para bancos e estabelecimentos comerciais.


Alarme Pet

Tem capacidade de identificar pequenos corpos, por meio de infravermelho. É classificado pelo peso e não capta movimentos feitos próximos ao chão. Os mais avançados são capazes de rastrear animais de até 46 quilos, conseguindo distinguir uma pessoa de um animal nesta faixa de peso. É útil principalmente para locais onde circulam animais, o que acabam gerando muitos alarmes falsos. Plantas industriais ou grandes unidades de agronegócio podem se beneficiar dessa função. O sistema reconhece e ignora os pets, disparando alarmes apenas quando identificar a presença de pessoas. 


Sensores de teto

Alarmes com sensores de teto têm campo de detecção de 360 graus. Sua área de cobertura pode variar dependendo da altura do pé-direito do ambiente.   Indicado para o interior de imóveis.
A aplicação de cada sensor de alarme está condicionada a diversos fatores como a rotina do local, exposição do ambiente a fatores externos como calor solar, insetos, animais ou até mesmo maquinários que podem esquentar durante a noite acionando o alarme. Por isso, é importante analisar as opções com calma e contar com a ajuda de especialistas na hora de decidir.
^